Entrevista com Amanda Cetrin

 

Construtores do Saber: O interesse de Amanda pelo hipismo é muito grande, basta conversar com ela um pouquinho para ver o quanto essa garota ama montar. Até suas preferências literárias passam pelo esporte. Outro dia, na sala de aula, mostrou-me um bonito livro sobre cavalos. Nas produções de texto que faz sempre dá um jeitinho de contar uma história que tenha esses animais. Conheça um pouco mais sobre o hipismo e a paixão de Amanda pelos cavalos.

CS: Quando começou o interesse pelo esporte?
Amanda: Eu me interessei vendo a minha tia; ela também ama cavalos e desde pequena eu a vejo montar. Ela participa de várias cavalgadas, faz provas de tambor, baliza e pratica o hipismo “western”. Além disso, o meu avô tem um sítio com vários cavalos, então desde bem pequena, eu já gostava de cavalos, então resolvi há dois anos aprender profissionalmente montar a cavalo.

CS: Quantas vezes você pratica o hipismo por semana? Você tem uma rotina de treinamentos?
Amanda: Minha rotina é duas vezes por semana ir à hípica, aquecer o cavalo ao passo, trote e galope. Eu aqueço sozinha e depois começa a minha aula com saltos, regras básicas da equitação. A cada dia eu vou aprendendo uma coisa nova: primeiro foi o trote elevado, o trote sentado, aprendi sobre o galope falso, galope reunido...

 

CS: Geralmente garotas da sua idade têm medo de animais. Como é para você lidar com esses animais?
Amanda: Eu me sinto muito feliz andando a cavalo, pra mim é a melhor coisa do mundo, pois é a coisa que eu mais gosto de fazer. Não gosto somente de andar neles, às vezes, eu me tranco na baia com o Zefir Interagro , fico lá , em cima dele pensando na vida ,fazendo carinho nele . Ele gosta de mim também, pois quando eu chego lá, ele vem andando atrás de mim... O Zefir, apesar de não ser o melhor cavalo, é o que me deixa mais feliz ao montá-lo.

CS: Pretendo fazer desse hobby sua profissão? Será que teremos nas Olímpiadas de 2016 uma medalhista olímpica?
Amanda: Eu pretendo fazer o meu hobby uma carreira para a vida toda, pretendo viver disso, pois é uma coisa que eu gosto muito. Na verdade, eu já estou fazendo uma carreira, já participo de provas, minha última competição de salto fiquei em 3º lugar. Quem sabe não trarei uma medalha para Juiz de Fora?

CS: Os cavalos são mais do que um bicho de estimação?
Amanda: Um cavalo não é só um animal para montar, ele pode ser o seu melhor amigo, mesmo não falando ele te entende. Demora tempo para conquistar a confiança desse animal, mas depois é para sempre. O Zefir vem logo me lambendo e fazendo carinho quando eu o encontro. Eu acho muito importante as pessoas conviverem com algum animal.

CS: Além dos cavalos qual outro animal você tem? O que eles ensinam para você?
Amanda: Tenho cavalos e uma cachorra. Os animais me ensinam muita coisa, principalmente o cavalo: ensina-me a ter paciência, pois nem sempre esse animal compreende o que você quer. Ás vezes, mesmo indicando com a perna de fora, ele galopa falso ou desunido ou não entende qual é o tipo de galope que você quer, aí temos que repetir o exercício novamente. Aprendo a prestar atenção no que o professor de equitação diz, pois quando a gente não o escuta, sempre dá alguma coisa errada: no inicio o professor me mandava fazer a posição esporte só na hora do salto e eu fazia antes, acabava levando um refugo ou o cavalo saia muito de longe... 

Os cavalos me ensinam que às vezes o seu melhor amigo, pode não ser uma pessoa, mas sim, um animal.

Você não tem permissão para enviar comentários

Você está aqui: Home Alunos Talentos Entrevista com Amanda Cetrin